domingo, 20 de novembro de 2011

Apolônio, Jesus e Paulo: HOMENS OU MITOS?

                                     Por Acharya S / DM Murdock

Ao longo dos séculos, algumas pessoas têm notado uma semelhança entre a vida do antigo sábio Apolônio de Tiana e o cristão salvador Jesus Cristo. Apolônio foi dito ter vivido no primeiro século, precisamente no momento do advento de Jesus, embora o primeiro supostamente viveu até cerca de 100 anos, enquanto o segundo teria morrido várias décadas antes.

Alega-se que centenas de estátuas de Apolônio foram erguidas durante os primeiros séculos da era cristã, com sua fama como um "homem divino", generalizada em torno do Mediterrâneo. 

Inúmeros eventos da vida de Apolônio, nos foram fornecidos, principalmente, por uma biografia criada em torno de 210 pelo Historiador Filóstrato, encomendada pela imperatriz Julia Domna, peculiarmente paralela a de Cristo. É difícil determinar o que, da Vida de Apolônio se constitui história, embora pareça haver confirmação, pelo menos, da existência de Apolônio. Na verdade, desde as coincidências estranhas entre sua vida e a de Jesus, tem sido sugerido, por não poucas pessoas, que Jesus Cristo é um personagem fictício baseado em grande parte, na vida de Apolônio de Tiana.

Além desse possível desenvolvimento, há correlações surpreendentes entre a vida de Apolônio e o apóstolo Paulo, que, como Jesus, estranhamente não encontra lugar na história contemporânea, apesar das reivindicações para que ele tenha feito muito barulho em uma parte povoada e bem documentada do mundo. Parece que as histórias de Jesus e Paulo foram em partes fabricadas a partir de Apolônio de Tiana.


A seguir descrição dos eventos pertinentes e características na vida de três homens, como registrado em várias fontes, particularmente na vida de Apolônio e na Bíblia. Deve-se notar que, assim como a Bíblia não reconhece "Apolônio de Tiana",  a biografia de Apolônio não mencionar Cristo, não menciona Paulo, não menciona os cristãos e nem o cristianismo. (Os eventos aqui não estão necessariamente em ordem cronológica, nem é a lista completa. Um tratamento mais completo deste importante assunto exigiria um volume inteiro..)


                   Apolônio: Nascido em 4 aC

Nascimento miraculosamente anunciado por um ser sobrenatural. Era filho de um deus e uma mulher mortal.
Levantes em Tarso. Religiosamente precoce como uma criança. Afirmou ser um falante nativo do aramaico. Associado com os sábios ou magos. Tinha um discípulo chamado Damis da Ásia Menor. Tinha um colega chamado Tito. Associado a um Demetrius. Associado a um Stephanus. Influenciado por Platão.
Renunciou à riqueza. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Eunucos discutidos para o reino da Babilônia. Era solteiro e sem filhos. Foi ungido com óleo. Foi a Jerusalém. Passou muito tempo em Antioquia. Fez viagens missionárias ao redor do Mediterrâneo. Viajou para o Oriente por três anos, onde foi ensinado por sábios. Escreveu epístolas instruindo os seguidores da espiritualidade. Falou em metáforas. Lutou com feras em Éfeso. Viu e previu o futuro. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou os espíritos malignos. Ressuscitou a filha de um oficial romano dos mortos. Fama distante e largamente. Reformador religioso. Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Falou como um "legislador". Fundou uma comunidade religiosa em Corinto. Estava em uma missão para trazer a cultura grega para os "bárbaros"
Convidava as pessoas não "refinadas" a se converterem. Acreditava ser um "salvador" do céu. Adorado como um deus. Acusado de ser um mágico. Teve sua vida ameaçada. Esteve perante um rei, cuja justiça ele desafiou. Foi acusado de matar um menino. Condenado por um imperador romano. Preso em Roma. Escapou milagrosamente da prisão. Naufragou. Desceu ao submundo. Foi para o céu. Apareceu postumamente a um detrator como uma luz brilhante. Diz-se que em dois lugares ao mesmo tempo. Teve sua imagem venerada em templos.

                       Jesus: Nascido em 4 aC

Nascimento miraculosamente anunciado por um ser sobrenatural. Era filho de um deus e uma mulher mortal.
Religiosamente precoce como uma criança. Afirmou ser um falante nativo do aramaico. Associado com os sábios ou magos. Tinha um discípulo chamado Thomas; abençoou um ladrão na cruz chamado Demas.
Platonismo refletido. Riqueza denunciada. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Eunucos discutido para o reino dos céus. Era solteiro e sem filhos. Foi ungido com óleo. Foi a Jerusalém. Falou em parábolas. Viu e previu o futuro. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou demônios.
Levantou a filha de um oficial judeu entre os mortos. Fama distante e largamente. Reformador religioso.
Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Falou como um "legislador". Estava em uma missão para trazer cultura judaica para a "nações". Convidava as pessoas "não salvas" a se converterem. Acreditava ser  um "salvador" do céu. Adorado como um deus. Acusado de ser um mágico. Teve sua vida ameaçada. Esteve perante um rei, cuja justiça ele desafiou. Foi acusado de matar um menino (Evangelho da Infância de Thomas). Condenado por autoridades romanas. Preso em Jerusalém. Desceu ao submundo. Subiu ao céu. Apareceu postumamente a um detrator como uma luz brilhante. Diz-se que em muitos lugares ao mesmo tempo. Teve sua imagem venerada em igrejas.

                      Paulo: Nasceu c. 2 CE?

Levantes em Tarso. Religiosamente precoce como uma criança. Alegou ser um orador do hebraico. Tinha um discípulo chamado Demas da Ásia Menor. Tinha um colega chamado Tito. Associado a um Demetrius.
Associado a um Stephanus. Influenciado por Philo / Platão. Pobreza abraçou. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Era solteiro e sem filhos. Foi a Jerusalém. Passou muito tempo em Antioquia. Fez viagens missionárias ao redor do Mediterrâneo. Viajou para o Oriente por três anos, onde foi ensinado por Jesus. Escreveu epístolas instruindo os seguidores da espiritualidade. Lutou com "feras" em Éfeso. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou demônios. Bem conhecido nas comunidades cristãs ao redor do Mediterrâneo. Reformador religioso. Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Fundou uma comunidade religiosa em Corinto. Confundido com um deus. Teve sua vida ameaçada. Condenado por um imperador romano. Preso em Jerusalém e Roma. Escapou milagrosamente da prisão. Naufragou.

Como pode ser visto, há muitos detalhes importantes que correspondem entre as vidas de três homens. De certa forma, é claro, um ou outro dos homens-santos foi superior em suas capacidades, tais como a reivindicação sobre Apolônio ser capaz de falar e entender "todas as línguas", sem ter estudado ou aprendido.

Em um desenvolvimento interessante, as viagens de Apolônio e de Paulo tomaram rotas muito semelhantes, embora geralmente em sentido inverso um do outro. Na verdade, foi calculado que Paulo e Apolônio estavam ambos em Éfeso e Roma, precisamente ao mesmo tempo. Seria muito estranho se dois homens tão semelhantes e poderosos, pregando para as comunidades religiosas nesses locais, fossem desconhecidos um do outro. A menos, claro, que um fosse o outro.

Curiosamente, o livro de Atos menciona um "Apolo" em Éfeso com Paulo, o nome de "Apolo" era uma abreviatura de "Apolônio". Em qualquer caso, abrangendo várias fraternidades e sites de escola de mistérios, a rota tomada por ambos, Apolônio e Paulo também foi mais ou menos a de Orfeu, um pregador da religião mítica de Dionísio, cujo epíteto foi dito ter sido IES , séculos antes da era cristã. Muitos outros, sem dúvida, também feziram essa peregrinação a estes locais sagrados pré-cristã e escolas de mistério ao longo dos séculos.
                                              
Não são apenas as viagens de Paulo e Apolônio que são muito semelhantes, seus nomes são também. Enquanto Paulo é "Paulos" em grego, Léxico de Thayer afirma que "Apolo" é, segundo algumas autoridades antigas, contraídas a partir de "Apollonios". Curiosamente, "Apolo" é mencionada em cinco lugares na Epístola de Paulo 1 para os Corinthianos, de tal forma a atribuir grande importância para ele.

Além disso, o nome de "Apolônio", tem sido evidenciado, e também foi abreviado nos tempos antigos como "Pol", mas este escritor não foi capaz de confirmar essa alegação. Foi ainda afirmado que o autor da Epístola aos Hebreus não era "Paulos", mas "Apolo", uma afirmação interessante tendo em consideração o fato de que Hebreus está escrito em "grego hebraistic" e que Apolônio foi dito ser um nativo falante da língua hebraistic do aramaico. Estranhamente, Hebreus foi uma das três epístolas que estava faltando no primeiro Novo Testamento compilado por Marcion. Além disso, existem vários "Paulines", escritos que apareceram após a suposta morte de Paulo, durante o período em que Apolônio foi dito ser ainda vivo.




Fonte: http://www.truthbeknown.com/apollonius.html















sábado, 19 de novembro de 2011

SOBRE A EXISTÊNCIA DE ETS



A descoberta de alienígenas inteligentes seria estonteante em muitos aspectos, mas pode representar um dilema especial para as religiões do mundo.

Os cristãos, em particular, podem ser afetados mais fortemente por notícias assim, porque o sistema de crença cristã não permite facilmente outros seres inteligentes no universo.

Fica a pergunta “Jesus morreu por aliens também?”. De acordo com o cristianismo, o evento histórico há cerca de 2 mil anos era para salvar toda a criação divinda. Imagine o dilema…

Veja como o debate será: se toda a criação inclui 125 bilhões de galáxias com centenas de bilhões de estrelas em cada uma, como os astrônomos pensam, então o que aconteceria se algumas dessas estrelas tivessem planetas com civilizações avançadas também? Por que Jesus Cristo veio à Terra, de todos os planetas habitados no universo? Para salvar os terráqueos e abandonar o resto das criaturas de Deus?

Um professor de filosofia da Ruhr-University Bochum, Christian Weidemannof, se autodescreve como cristão protestante e sugeriu algumas soluções possíveis. Talvez os extraterrestres não sejam pecadores, como seres humanos, e portanto não precisem de salvação. No entanto, o princípio da mediocridade – a ideia de que o seu exemplo é mais provável, a menos que você tenha provas em contrário – lança dúvidas sobre isso.

Se existem seres inteligentes extraterrestres, é seguro assumir que a maioria deles são pecadores também, disse Weidemann. Se for assim, Jesus irá salvá-los também? Provavelmente não. Então, a nossa posição entre os seres inteligentes no universo seria muito excepcional.

Outra possibilidade é a de que Deus encarnou várias vezes, enviando uma versão de si mesmo para salvar cada planeta habitado separadamente.
No entanto, com base nas melhores estimativas de quantas civilizações poderíamos encontrar no universo e por quanto tempo os planetas e as civilizações são esperadas para sobreviver, encarnações de Deus teriam que estar em cerca de 250 lugares simultaneamente em um dado momento, assumindo que cada encarnação levou cerca de 30 anos.

Se Deus realmente se tornou corpóreo e tomou forma humana quando Jesus Cristo nasceu, as várias reencarnações não teriam sido possíveis.

Embora a descoberta de inteligência extraterrestre provavelmente estimule um profundo exame de consciência nas pessoas de todas as crenças, muitas das religiões do mundo podem facilmente se acomodar ao conhecimento do que ao cristianismo.

Isso parece ser um problema somente para o cristianismo.
No Islã, por exemplo, Maomé era um profeta, ou mensageiro de Deus, não Deus encarnado. Por isso, profetas adicionais poderiam simultaneamente visitar outros planetas para salvar espécies extraterrestres.

Em última análise, no entanto, a descoberta de alienígenas inteligentes não é suscetível de constituir uma grave crise para o cristianismo. Afinal, a religião já sobreviveu a desafiadoras revelações científicas antes.

Para Hoffmann, a religião é essencialmente conservadora. Você pode colocar quase qualquer coisa sob o seu nariz que ela não vai dar bola.
 
Fonte: Hypescience

domingo, 13 de novembro de 2011

10 CIDADES PERDIDAS QUE FORAM REDESCOBERTAS

1 – Pavlopetri – Grécia

Sempre que cidades perdidas são discutidas, Atlântida vem à mente. Embora não haja uma forte evidência de que Atlântida realmente existiu, além do conto alegórico de Platão, muitas cidades sofreram o destino suposto de Atlântida: ser engolida pelo mar. 
Pavlopetri era uma cidade pré-Grécia Clássica, que foi erguida na Idade da Pedra e persistiu até 1.000 a.C. O local submerso ofereceu aos arqueólogos uma perspectiva única sobre a vida no momento. A cidade foi provavelmente submersa pela elevação dos mares e a subsidência do solo causada por terremotos. Como o nível do mar oscilou muito ao longo da existência humana, é provável que outros locais existam nos oceanos aguardando descoberta.

2 – Palácio Cliff – EUA

O povo Pueblo, nativos americanos do sudoeste dos EUA, são nomeados pelas aldeias (Pueblos) que construíram. Embora existam comunidades pueblos ainda hoje, o Anasazi, uma sociedade pluebo antiga, floresceu entre 900 e 1200 d.C.
“Cliff Palace” (Palácio Cliff) foi construído nesta época de ouro dos Anasazi; a maioria dos edifícios é datado de 1.200 d.C. A ocupação do local foi de curta duração e abandonada por volta de 1.300 d.C. Ele permaneceu desconhecido no deserto até 1888.
O nome do local é meio equívoco, já que é mais como uma aldeia do que o que nós entendemos como um palácio. Embora a razão para o abandono da área não seja certo, a teoria amplamente aceita é que a primeira das grandes secas, que tem sido associada ao colapso da idade de ouro Anasazi, interrompeu a agricultura em toda a região.

3 – Akrotiri – Santorini

A civilização minóica de Creta é nomeada em homenagem ao mítico rei Minos, construtor do labirinto. Há pouco material escrito da civilização, então não sabemos como eles chamavam a si mesmos. A civilização inteira foi esquecida até a virada do século 20. Com a descoberta do grande palácio de Cnossos, as glórias dos minóicos foram redescobertas.
Mas, em vez do conhecido Cnossos, nessa lista está um posto avançado dessa civilização, Akrotiri, que fica na ilha de Santorini. Santorini, ou Thera, é a casa do vulcão Thera. Pensa-se agora que a explosão de Thera, por volta de 1.600 a.C., uma das maiores erupções na história, provocou o colapso do império. A descoberta de Akrotiri, em 1967, trouxe à luz frescos excepcionalmente bem preservados, casas de até três andares, e um complexo planejamento. O sistema de abastecimento de água sugere que o povo de Akrotiri tinha acesso a água corrente quente e fria, com a água quente fornecida pelo vulcão que os destruiu.

4 – Tikal – Guatemala

A cidade maia de Tikal foi a capital de um reino maia e uma grande cidade do Novo Mundo. O local foi ocupado entre 200 e 900 d.C. Graças à preservação quase perfeita da cidade, se sabe muito sobre a grandeza de Tikal no seu auge, assim como os reis poderosos que governaram lá.
Enquanto o local é, por vezes – como outras ruínas do Novo Mundo – listado como “misteriosamente” abandonado, pesquisas mostram que a terra não poderia suportar o grande número de pessoas reunidas lá. O abandono ocorreu ao longo de vários anos, e a cidade foi deixada para as selvas.
Parece, no entanto, que alguns moradores sabiam da sua existência durante esses anos, e rumores de uma cidade perdida na área persistiram. A primeira expedição organizada a cidade ocorreu em 1848. O que eles encontraram foi um dos maiores sites de sobreviventes do Novo Mundo. Existem pirâmides de até 70 metros de altura, palácios reais, monumentos e uma arena para jogar um jogo de bola maia.

5 – Timgad – Argélia

Timgad é a cidade perdida arquetípica das histórias de aventura. No passado uma cidade vibrante, fundada no deserto por ordem do imperador Trajano, sobreviveu às revoltas do império e cresceu a uma cidade de comércio de grande porte.
No século 5, renasceu como um centro da vida cristã. No século 7, vândalos levaram ao completo abandono da cidade. Nisso, as areias do Saara cobriram o local e o preservaram até sua redescoberta, em 1881. Agora, as ruínas da cidade dão um insight brilhante sobre cidades romanas das províncias africanas. As ruas seguem um design perfeito, como seria de esperar de uma cidade construída sob encomenda. Hoje, pode-se ver o arco de Trajano, os locais de banhos e o templo de Júpiter. O templo é tão grande quanto o panteão em Roma, mostrando a importância da cidade. No fórum, lê-se a inscrição: “Para caçar, tomar banho, jogar e rir. Esta é a vida!”.

6 – Machu Picchu – Peru

Nenhuma lista de cidades perdidas está completa sem Machu Picchu. Esta cidade inca fica em um pico nos Andes. Foi apenas habitada por um curto período de tempo, de 1450 a 1572 d.C., antes de ser abandonada como resultado da conquista espanhola da América do Sul.
Como os espanhóis nunca encontraram a cidade, e moradores não revelaram a sua localização, Machu Picchu só chamou a atenção do Ocidente no início do século 20. Ainda há debate sobre a “função” de Machu Picchu: seria um retiro real, um santuário religioso?
Hoje, é fácil chegar até lá, com ônibus e trens regulares. Isto levou a preocupações sobre a sustentabilidade de um grande número de visitantes, no entanto, dadas as vistas maravilhosas e as ruínas esplêndidas, não dá pra deixar de ir até a região.

7 – Mohenjo-daro – Paquistão

Junto com as civilizações egípcia e mesopotâmica, a civilização do Vale do Indo é considerada uma das mais antigas do mundo. A civilização do Vale do Indo atingiu o seu pico cerca de 2000 a.C., embora seja consideravelmente mais velha.
Ciência, comércio, artesanato, religião e agricultura progrediram notavelmente. A natureza avançada desta civilização pode ser vista em Mohenjo-daro, com as suas ruas ordenadas e sistema de drenagem. Ao contrário de outros locais desta lista, não há palácio ou complexo, ou templo. Isso levou alguns a considerar a civilização do Vale do Indo como igualitária, no entanto sabemos muito pouco das pessoas que viviam em Mohenjo-daro, de modo que tal declaração não é definitiva. A inundação parece ter destruído a cidade, e novas cidades foram construídas diretamente sobre as ruínas. O que causou seu abandono final não é claro, mas ocorreu por volta de 1800 a.C. Mohenjo-daro só foi redescoberta em 1922.

8 – Petra – Jordânia

A inclusão de Petra nessa lista pode se provar controversa, já que se pode questionar se estava realmente perdida. Foi certamente abandonada, mas pode ter sido muito bem conhecida pelos locais.
De qualquer forma, ela foi perdida do conhecimento ocidental por pelo menos mil anos. Ela foi levada para o domínio romano em 103 d.C. A cidade floresceu no deserto até que um terremoto destruiu seu sistema de água vital. Com outras cidades disponíveis, pareceu mais fácil simplesmente abandonar o local do que a reconstruir.
A partir de então, o local foi deixado pelo deserto, atraindo apenas viajantes curiosos e ladrões de túmulos. Agora, é um dos grandes sites arqueológicos no Oriente Médio. A cidade é meia construída, meia esculpida nas rochas vermelhas das colinas que habita. A arquitetura é uma fusão de nabateu, romano, grego e nativo.
 
9 – Tróia – Turquia

“Cante, ó Musa, a ira de Aquiles, filho de Peleu”. Assim começa a Ilíada de Homero, o texto fundamental da literatura ocidental. Por toda a importância colocada na Ilíada, foi por muito tempo pensado que Tróia era tão mítica quanto Atlântida.
Então, em 1871, um classicista autodidata, Heinrich Schliemann, financiou uma escavação em uma colina em Hissarlik. Lá, onde em tempos antigos uma cidade chamada Ilium (assim Ilíada) tinha estado, eles descobriram enormes muralhas defensivas do tipo descrito por Homero.
Bem como as muralhas de Tróia, Schliemann descobriu joias de ouro que mostrou como as joias de Helena. Este tesouro que se pensava perdido após a Segunda Guerra Mundial foi, de fato, saqueado pelos soviéticos e pode ser encontrado no museu Pushkin.
Escavações modernas do local revelam que a cidade era grande, grande o suficiente para ser a base da lenda antiga. Eles também descobriram que foi fundada por volta de 3000 a.C. e destruída várias vezes. Cada nova cidade foi construída sobre as ruínas da passada. Há um intenso debate sobre qual destas camadas pode se relacionar com a cidade sitiada pelos gregos. Curiosamente, as paredes poderosas da cidade teriam muito superado qualquer armamento de cerco disponível por atacantes – isso é o que a Ilíada descreve, e explica a necessidade de trapaças como o cavalo de Tróia.

10 – Pompéia e Herculano – Itália

“Havia alguns com tanto medo da morte, que rezavam para morrer”. Isso escreveu Plínio, o Jovem, sobre a erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C.
Seu tio, o grande ancião Plínio, tinha tomado a frota romana em toda a baía de Nápoles para resgatar as pessoas presas no sopé do vulcão. A expedição custaria a Plínio, o Velho, sua vida, conforme as cidades de Pompéia e Herculano foram sufocadas em cinzas.
As cinzas, que destruíram tantas vidas, perfeitamente preservaram as duas cidades por 1.700 anos. Enquanto muitas vezes nós pensamos nos antigos romanos como um povo habitando um mundo perfeito de mármore branco, Pompéia revela uma cidade real, com muitas características que reconheceríamos hoje.
Slogans políticos são pintados nas paredes – “Vote para Sabino Popídio Lucius!” – e há grafites nas paredes dos banheiros. Um mural mostra um motim que ocorreu ao redor do anfiteatro na cidade. Ela tem sido uma mina de ouro para os arqueólogos e é um local turístico. Ao contrário de outras cidades, aqui você ainda pode ver alguns de seus habitantes; pontilhados ao longo das ruínas, estão os fantasmas medonhos dos mortos cujos corpos deixaram buracos nas cinzas.
 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Camisinha-viagra



Dois coelhos com uma cajadada só. Os médicos especialistas da empresa britânica de biotecnologia Futura Medical conseguiram desenvolver um produto que auxilia no tratamento da disfunção erétil e ainda incentiva o sexo seguro: trata-se da “camisinha-viagra”.

O preservativo está prestes a receber a aprovação regulatória na Europa Continental e no Reino Unido. A companhia farmacêutica Reckitt Benckiser Group tem esperanças de colocá-lo à venda dentro de um ano. Até lá, a empresa espera que, depois de mais estudos clínicos, o produto também obtenha aprovação para os consumidores dos EUA.

Os médicos relatam que a teoria por trás da nova camisinha não apresenta nada de especial. Encontrar o ingrediente ativo foi fácil: os investigadores usaram um produto químico vasodilatador comumente utilizado para combater a angina – dor intensa e latejante no peito que ocorre quando o coração não recebe sangue o suficiente.

A parte mais dura foi descobrir como manter o gel com o ingrediente ativo dentro do preservativo de modo que o vasodilatador tocasse somente o pênis do usuário durante a relação sexual. No entanto, os pesquisadores conseguiram superar esse obstáculo e chegar a um produto viável.

O empresário James Barder, representante da Futura nos Estados Unidos, explica a dificuldade encontrada. “O desafio é manter o líquido vasodilatador estável dentro do preservativo, ou seja, condicionar um gel que não cause prejuízo à estrutura do produto. Algumas substâncias podem degradar o látex muito rapidamente”.

Dada a popularidade da pílula do Viagra, encontrada hoje em dia nos mais diversificados estabelecimentos, a camisinha-viagra tem como objetivo conseguir igual penetração no mercado, valendo-se principalmente de sua função dupla.

O novo preservativo ainda possui um atrativo a mais para incentivar relações sexuais sem o perigo da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs): os fabricantes afirmam que o produto não escorrega do pênis durante o sexo, um problema surpreendentemente comum relatado pelos homens.

Fonte: Hypescience

sábado, 5 de novembro de 2011

PREVISÃO MAIA PARA 2012

Qual é a previsão dos maias para 2012? 






    
























A ideia de que os maias profetizaram o fim do mundo para o ano de 2012 é, na realidade, um erro de interpretação. Quem explica isso é o antropólogo Orlando Casares Contreras, do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), do México, no guia do museu que acompanha a grande exposição sobre o legado maia, chamada "A Sociedade e o tempo maia", que está sendo exibida no Museo del Oro, de Bogotá, Colômbia, desde a última quinta-feira. Como explica na seção "Presságios e profecias maias", a era tem 5.125 dias e, ao chegar ao seu fim, o que acontece é que uma nova era se inicia, o que não quer dizer que vá ocorrer desastres, mas sim que os eventos diários, tanto bons como ruins, voltarão a acontecer. Isto tem a ver com a visão do cosmo mais profunda dos maias, segundo a qual, explica Casares, não há lugar para conceber um "fim do mundo", por sua natureza cíclica.


A imponente mostra consiste em 96 peças arqueológicas de grande valor, destacando os conhecimentos avançados em matemática, astronomia e escrita da cultura maia. A exposição permanecerá em Bogotá até fevereiro de 2012, tempo suficiente para se mergulhar nos mistérios e na sabedoria desta cultura ancestral e conhecer como eles viam este mundo que, segundo seus textos, não acaba, simplesmente, entra em uma nova era.