domingo, 20 de fevereiro de 2011

ESCRAVIDÃO SAGRADA!

DEUS BÍBLICO É A FAVOR DA ESCRAVIDÃO!
ÊXODO 21 : 2 – 6
2 – Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas, ao sétimo, sairá forro, de graça.
3 – Se entrou só com o seu corpo, só com o seu corpo sairá; se ele era homem casado, sairá sua mulher com ele.
4 – Se seu senhor lhe houver dado uma mulher, e ela lhe houver dado filhos ou filhas, a mulher e seus filhos serão de seu senhor, e ele sairá só com seu corpo.
5 – Mas, se aquele servo expressamente disser: Eu amo a meu senhor, e a minha mulher, e a meus filhos; não quero sair forro;
6 – Então seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao postigo, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e o servirá para sempre.
LEVÍTICO 25 : 44 – 46
44 – E quanto a teu escravo ou tua escrava que tiveres, serão das gentes que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas.
45 – Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles e das suas gerações que estiverem convosco, que tiverem gerado na vossa terra; e vos serão por possessão.
46 – E possui-los-eis por herança para vossos filhos depois de vós, para herdarem a possessão; perpetuamente os fareis servir, mas sobre vossos irmãos, os filhos de Israel, cada um sobre seu irmão, não vos assenhoreareis dele com rigor.
NORMAS ESCRAVAGISTAS
Em Êxodo 21:2, Deus estabelece, em um dos artigos de sua lei escravagista, que o tempo de escravidão para o escravo judeu é de seis anos, após esse tempo, esse(escravo) será libertado, tornando-se um cidadão livre.
Em Êxodo 21:3-6, Deus estabelece como deve ser o tratamento para os escravos judeus: Caso um senhor escravagista compre um escravo solteiro, após seis anos de escravidão, este estará livre, somente com a roupa do corpo, é claro; se o escravo comprado já for casado no momento da compra, então após seis anos de escravidão, este estará livre juntamente com sua mulher, se o escravo comprado for solteiro e seu senhor lhe der uma mulher como esposa, e essa vier a ter filhos com o mesmo(escravo), após seis anos, esse escravo será libertado, somente com a roupa do corpo, pois a mulher e os filhos não será dele, mas de seu senhor(aquele que o comprou como escravo), porém, se o escravo falar claramente que ama seu senhor, sua mulher e seus filhos, e por esse motivo não quer ser livre, então seu senhor o levará aos juízes, onde esse escravo, terá sua orelha furada com uma sovela, para que fique marcado como sendo um escravo perpétuo daquele que o comprou, e que também é dono de sua mulher e seus filhos.
Em Levítico 25:44-46, Deus considera os filhos dos forasteiros e os povos vizinhos de Israel inferiores aos seus escolhidos(Israelitas), pois para estes, ele(Deus) determina de imediato, escravidão perpétua.
Vejam que o deus bíblico além de ser a favor da escravidão, ele a incentiva e dita normas para regularizá-la e até torná-la perpétua para determinados povos que ele considera inferiores aos seus escolhidos(Israelitas).
Vejam, por exemplo, que em Êxodo 21:2, Deus estabelece, em um dos artigos de sua lei escravagista, um tipo de escravidão para o povo judeu, determinando que esses, ao serem comprados como escravos, tenham suas vidas de servidão, limitadas em um tempo de seis anos, após esse período, esses devem serem libertados, tornando-se cidadãos livres, salvo se decidirem por uma escravidão perpétua, por amor à sua mulher e aos seus filhos. Porém, Em Levítico 25:44-46, Deus estabelece um segundo tipo de escravidão para os povos não judeus, determinando para esses uma escravidão perpétua, ou seja, dois pesos e duas medidas para a perversa lei de Deus, a perversa lei da escravidão. Uma lei bem conveniente para o deuzinho da bíblia e do povo hebreu, não acham? Um deuzinho tribal criado a imagem e semelhança do homem, um deuzinho criado para satisfazer as vontades dos senhores escravagistas, nobres e sacerdotes das aldeias tribais dos hebreus antigos.
Um deus assim garantia os interesses religiosos e econômicos da época tribal dos Israelitas , era um deus da injustiça, um deus da desigualdade social, um deus da escravidão, um deus da ILUSÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NÃO ACREDITO EM TUDO QUE ME DIZEM. E SÓ ACREDITO NA METADE DO QUE VEJO.