domingo, 25 de dezembro de 2011

A PARTÍCULA DE DEUS

Os resultados das pesquisas para encontrar o bóson de Higgs, também chamado de “partícula de Deus”, estão animando a comunidade científica. Nesta terça-feira, físicos do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN, na sigla em inglês), em Genebra, afirmaram que o bóson pode ter sido “vislumbrado”, mas ainda são necessários mais dados para comprovar a sua existência. O bóson de Higgs seria responsável pela massa de todas as partículas e explicaria a origem de todas as massas do universo.

O bóson de Higgs é uma partícula subatômica que ainda não foi vista, mas estudos indicam que ela pode existir. Seu modelo foi proposto para explicar a massa por seis físicos, incluindo Peter Higgs, em 1964. Ela é o último item que falta para o “Modelo Padrão”, que explica como as partículas interagem. Caso a “partícula de Deus” tenha sua existência comprovada, será a principal descoberta da física dos últimos 60 anos.


Para encontrar o bóson, duas equipes – Atlas e CMS – estão realizando pesquisas independentes no Grande Colisor de Hádrons (da sigla em inglês, LHC). Os novos resultados mostraram que o mais  provável é que a partícula esteja em faixas de menor energia - de 116-130 GeV (giga elétron-volts). Partículas pequenas como o bóson são medidas em elétron-volt. Um bilhão de elétron-volts, ou um giga elétron-volts, são representados pela sigla GeV.


Caso o Higgs exista, sua duração é muito curta e de rápida transformação para partículas mais estáveis. Essa mudança pode ocorrer de várias maneiras e, por isso, os cientistas usam distintas linhas de pesquisa para buscar o bóson. Apesar de a “partícula de Deus” até o momento existir apenas no papel, alguns cientistas acreditam que estão perto de confirmar se ela é uma realidade ou não. Contudo, os pesquisadores estão confiantes, já que as duas equipes envolvidas, Atlas e CMS, chegaram aos mesmos resultados, causando uma enorme expectativa na comunidade cientifica.


domingo, 18 de dezembro de 2011

SETE INVENTORES QUE FORAM MORTOS POR SUAS INVENÇÕES

7 – O homem vestido de paraquedas


As primeiras décadas de aviação, em que vários procedimentos ainda eram novos, custaram a vida de alguns aventureiros. Pensando nisso, o austríaco Franz Reichelt resolveu confeccionar uma roupa que servisse como paraquedas. Alfaiate de profissão, ele esperava que sua roupa pudesse abrir no ar em um curto período de tempo, digamos, uma queda de 60 metros da Torre Eiffel.
E foi essa façanha que ele tentou concretizar no dia 4 de fevereiro de 1912, aos 33 anos, quando chamou a cidade de Paris para testemunhar o sucesso de sua invenção. Em um primeiro momento, o alfaiate ponderou fazer o teste com um boneco, mas acabou decidindo saltar ele mesmo. Antes da façanha, que ficaria registrada em vídeo, ele hesitou, mas tomou coragem e se lançou ao ar. Pulou da torre, o paraquedas não abriu, e ele perdeu sua jovem vida.

6 – Criador do foguete de combustível líquido


Um dos pioneiros da construção de foguetes, décadas antes da era espacial, foi o austríaco Max Valier. Os anos 1920 assistiram um “boom” na pesquisa e construção de foguetes de combustível líquido, novidade até então. Na Alemanha, em 1930, Valier teve a glória de fazer com sucesso o “test drive” de um foguete desse tipo.
Um mês depois, no entanto, veio a tragédia. Valier trabalhava em seu laboratório, em Berlim, quando um dos motores a combustível líquido que ele desenvolveu explodiu de repente. Um pedaço de metal voou direto em sua artéria pulmonar e ele morreu instantaneamente.

5 – O pai dos planadores e da asa delta


O primeiro homem a ser fotografado no ar, através de um planador, foi o alemão Otto Lillenthal. Apelidado de “rei dos planadores”, este inventor da segunda metade do século XIX fez mais de dois mil voos bem sucedidos com os planadores que desenvolveu, e lançou as bases para a construção de aviões e da asa delta, décadas mais tarde.
Sua carreira terminaria de forma abrupta em 9 de agosto de 1896, quando os irmãos Wright (coinventores do avião junto a Santos Dumont) já estudavam seus projetos. Em um rotineiro voo de planador, Lillenthal acabou caindo de uma altura superior a 18 metros, quebrou a coluna e morreru no hospital, no dia seguinte. Antes de falecer, deixou um recado àqueles que pretendiam seguir seus passos: “sacrifícios precisam ser feitos”.

4 – Os testes com a bomba atômica


Dois cientistas norte-americanos, condutores de testes com radioatividade em laboratório, perderam a vida logo após os bombardeios atômicos no Japão. O primeiro foi Harry Daghlian, um estadunidense que trabalhava em um laboratório em Los Alamos, no Novo México.
No dia 21 de agosto de 1945, menos de duas semanas depois dos ataques ao Japão, ele derrubou um bloco de tungstênio, acidentalmente, dentro do núcleo de uma bomba de plutônio, amplificando o risco de contaminação do conjunto. Em desespero, ele tentou tirar o bloco de tungstênio de dentro do núcleo, mas não conseguiu. Teve que quebrar o bloco de tungstênio em pedaços, para diminuir a nocividade, mas o mal já estava feito: ele morreria envenenado pela radiação apenas 25 dias depois.
No ano seguinte, uma tragédia semelhante aconteceu com um pesquisador canadense. No dia 21 de maio, o cientista Louis Slotin trabalhava no mesmo laboratório, e no exato mesmo núcleo de plutônio que havia vitimado Daghlian. Slotin deixou cair uma chave de fenda, por acidente, e desencadeou uma fissão nuclear que custaria sua vida. O tempo que o canadense levou para falecer foi ainda menor: apenas nove dias.

3 – O pioneiro dos voos de balão


O dia 21 de novembro de 1783 reservou uma glória para o francês Jean-François Pilâtre de Rozier. Ao lado do companheiro, Marquis d’Arlandes, ele realizou o primeiro voo bem sucedido de balão, totalmente livre de cordas ou instrumentos de apoio. Em 15 de junho de 1785, ele se preparava para uma façanha inédita no balonismo: cruzar o Canal da Mancha, que separa a França da Inglaterra, a bordo da máquina que ele mesmo construiu.
O balão usado na ocasião funcionava através de hidrogênio, ao contrário do primeiro modelo. A viagem, feita com outro companheiro, estava correndo muito bem, até o momento em que uma forte corrente de vento acabou fazendo o balão desinflar. Os dois caíram de uma altura superior a 500 metros e perderam a vida na tentativa. A noiva de Rozier, deprimida, cometeu suicídio oito dias depois.

2 – Submarino de propulsão manual


O mar também seria túmulo para um dos inventores mais destemidos do século XIX. O americano Horace Hunley, a quem se atribui a criação do primeiro submarino de propulsão manual da história, morreu por não conseguir solucionar um problema básico de seu veículo: voltar à tona.
Em um submarino de propulsão manual, é preciso que uma tripulação inteira fique dentro de uma cabine cheia de alavancas, fazendo movimentos contínuos. Na primeira tentativa de emplacar seu invento, Hunley e sua tripulação foram surpreendidos por uma descarga de água que passou sobre o submarino quando a escotilha estava aberta, e cinco pessoas morreram.
Mas o americano não desistiu. Em 15 de outubro de 1863, novamente ele se lançou ao mar, com uma equipe de oito pessoas. O submarino afundou, não conseguiu emergir novamente, e todos acabaram morrendo. Como homenagem a Hunley, o submarino foi resgatado e batizado em seu nome.

1 – O avião que tentou cruzar as montanhas


Nos primórdios da aviação, um inventor se deu mal por querer ser o pioneiro em uma façanha. Depois de construir e voar com sucesso em dois modelos de avião, o romeno Aurel Vlaciu queria se tornar o primeiro homem a voar sobre os Cárpatos, cordilheira localizada na Europa Central.
Em setembro de 1913, ele planejava a construção de um terceiro avião, mais seguro, para realizar a façanha. Mas chegaram ao seu ouvido os boatos de que outros dois inventores da Romênia estavam se preparando para tentar sobrevoar a cordilheira. Resolveu usar o segundo modelo, mais velho, e pagou o preço pela ousadia: o avião caiu e ele jamais alcançou seu intento.

Fonte: Hypescience

domingo, 11 de dezembro de 2011

"IDADE DAS TREVAS" DO UNIVERSO



O universo nasceu há cerca de 13,7 bilhões de anos. Cerca de 400 mil anos depois da explosão, as condições do cosmo permitiram que houvesse luz no espaço pela primeira vez. Logo após esse ponto, no entanto, os astrônomos não têm evidências do que aconteceu até o momento em que as galáxias realmente começaram a se formar. É a chamada “Idade das Trevas” do universo.

Em busca de respostas mais claras sobre esse período obscuro, cientistas da Universidade Harvard (Cambridge, Massachussets, EUA) dedicaram um estudo sobre o tema. O que mais causa dúvidas nos cientistas está relacionado ao tempo de cada processo universal, e quais os mecanismos físicos envolvidos.
Estimativas consolidadas até hoje afirmam que a luz demorou muito tempo para poder brilhar no espaço. Logo após o Big Bang, a temperatura dos compostos era alta a ponto de formar íons de carga negativa, que bloqueavam a passagem da luz. Apenas quando o universo esfriou o suficiente para que os íons livres se combinassem em átomos houve luz.
Mas a existência de raios luminosos não formava um universo complexo como o atual, com incontáveis galáxias. Se o Big Bang aconteceu há 13,7 bilhões de anos, e a luz demorou apenas 400 mil para surgir, porque as primeiras galáxias (conforme estimativas) só se formariam 100 milhões de anos depois? O que aconteceu nesse período que foi batizado de “Idade das Trevas”?
O segredo para descobrir mais, segundo os astrônomos de Harvard, é inverter o “caminho” das descobertas. A Idade das Trevas está entre a fase “iluminada” após o Big Bang e o surgimento das primeiras galáxias, e a maioria dos estudos concentra os esforços em saber o que aconteceu logo após o “antes” da Idade das Trevas. Os pesquisadores americanos preferiram investigar as origens do “depois”, ou seja, a gênese das primeiras galáxias.
Haverá, até 2020, um aparelho exclusivamente dedicado a essa tarefa. É o telescópio espacial James Webb, que vem sendo planejado desde 1996. A função desse telescópio será rastrear luz (ou os rastros da ausência dela) das estrelas mais antigas do universo, que foram extintas na primeira fase pós Idade das Trevas.
Segundo os cientistas, esse rastreamento de luz é a chave para entender a pré-história de nossas galáxias. Os buracos negros mais antigos, além da presença da misteriosa matéria escura (composta de partículas sem carga que não interagem com a luz, mas atuam de maneira gravitacional), que compõe 85% da massa do universo, podem dar pistas indiretas sobre a formação das primeiras galáxias.
O mapeamento desses primórdios de luz servirá para combinar os conhecimentos já existentes sobre buraco negro e matéria escura. Com essa medida, os astrônomos pretendem traçar uma linha cronológica da Idade das Trevas, construída no caminho inverso: dos tempos mais recentes para os mais antigos.





sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A PASSAGEM DE UM DEUS

Em vez do fim do mundo, inscrições maias indicam passagem de um deus em 2012




























Uma nova interpretação das inscrições maias começa a ganhar 
força. Em vez de predizer o fim do mundo no ano que vem, na realidade a mensagem do antigo povo faz referência à chegada de um deus. Ao menos, essa é a interpretação dos hieróglifos de Sven Gronemeyer, da Universidade de La Trobe, na Austrália, apresentada no sítio arqueológico de Palenque, no sul do México, nesta quarta-feira.

As interpretações de Gronemeyer são baseadas em uma tábua de pedra, encontrada anos atrás, no sítio arqueológico de Tortuguero, na costa do Golfo do México. Ele disse que a inscrição prevê o retorno do misterioso deus maia Bolon Yokte (deus da criação e da guerra) no final de um período de 13 de 400 anos, conhecido como Baktuns, que equivale ao dia 21 de dezembro de 2012. Os maias consideram sagrado o dia 13. Segundo o pesquisador, não há nada de apocalíptico nesta data.


O texto foi esculpido há 1300 anos. Contudo, a pedra foi quebrada, o que fez com que o final da passagem ficasse praticamente ilegível. Gronemeyer disse que a inscrição se refere ao fim de um ciclo de 5125 anos desde o início do longo calendário Maia, em 3113 a.C. O fragmento foi uma profecia do então governante Bahlam Ajaw, que queria planejar a passagem do deus.


"A data adquiriu um valor simbólico, pois é visto como um reflexo do dia da criação", explica o pesquisador.


"É a passagem de um deus e não necessariamente um grande salto para a humanidade", completou.


As conclusões do pesquisador foram anunciadas menos de uma semana após o Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH) reconhecer que havia uma segunda referência à data de 2012 em inscrições, desencadeando uma nova rodada de conversas sobre a interpretação das previsões maias.


De acordo com o INAH, essa inscrição mencionando 2012 foi encontrada na ruína Comalcalco. Muitos especialistas duvidam, contudo, que este fragmento seja uma referência definitiva para a data citada como o possível fim do mundo, dizendo que não há tempo futuro marcado nesta segunda inscrição como no caso de tábua de pedra de Tortuguero.


O INAH está tentando dissipar a ideia de um apocalipse em 2012. Seu último passo foi organizar uma mesa redonda especial de especialistas maias esta semana em Palenque, onde Gronemeyer divulgou seu trabalho.

domingo, 4 de dezembro de 2011

SETE COISAS SURPREENDENTES SOBRE O UNIVERSO

A cada dia, novas descobertas assustam e deixam os astrônomos perplexos. Muitas coisas que sabemos sobre o universo ainda não têm explicação, enquanto outras funcionam de maneira tão perfeita ou misteriosa que nos fazem crer em algo maior. Confira algumas das coisas mais interessantes sobre o universo em que vivemos:

1 – O universo é (muito) antigo




O universo começou com o Big Bang. Os cientistas estimam que ele tenha cerca de 13,7 bilhões de anos (para mais ou menos 130 milhões de anos).
Os astrônomos fizeram esse cálculo através da medição da composição da matéria e densidade de energia no universo, o que lhes permitiu determinar quão rápido o universo expandiu-se no passado. Como resultado, eles poderiam “voltar no tempo” e identificar quando o Big Bang ocorreu. O tempo entre a explosão e agora compõe a idade do universo.

2 – O universo está expandindo


Na década de 1920, o astrônomo Edwin Hubble fez a descoberta revolucionária de que o universo não é estático, mas sim está se expandindo.
Por muito tempo se pensou que a gravidade da matéria no universo tornaria essa expansão lenta, ou até mesmo faria com que ela se contraísse.
Em 1998, o Telescópio Espacial Hubble estudou supernovas muito distantes e concluiu que, há muito tempo, o universo estava se expandindo mais lentamente do que acontece hoje. Esta descoberta intrigante sugeriu que uma força inexplicável, chamada energia escura, é o motor da expansão acelerada do universo.
Enquanto a energia escura pode ser a força estranha que está puxando o cosmos em velocidades cada vez maiores, ela continua a ser um dos maiores mistérios da ciência, já que sua detecção permanece indefinida.

3 – O universo está acelerando


A misteriosa energia escura não só pode ser a condução da expansão do universo, como parece estar puxando o cosmos em velocidades cada vez maiores. Em 1998, duas equipes de astrônomos anunciaram que o universo não estava apenas em expansão, mas acelerando também.
Segundo os pesquisadores, quanto mais longe uma galáxia está da Terra, mais rápido ela está se afastando. A aceleração do universo também confirma a teoria de Albert Einstein da relatividade geral, e, ultimamente, os cientistas têm revivido a constante cosmológica de Einstein para explicar a estranha energia escura que parece neutralizar a gravidade e fazer com que o universo se expanda a um ritmo acelerado.
Três cientistas ganharam o Prêmio Nobel 2011 de Física por sua descoberta de 1998 de que a expansão do universo estava se acelerando.

4 – O universo pode ser plano


A forma do universo é influenciada pela luta entre a força da gravidade (com base na densidade da matéria no universo) e sua taxa de expansão.
Se a densidade do universo exceder um certo valor crítico, então o universo seria “fechado”, como a superfície de uma esfera. Isto implica que o universo não é infinito, mas não tem fim. Neste caso, o universo eventualmente irá parar de se expandir e começar a colapsar sobre si mesmo, em um evento conhecido como “Big Crunch”.
Se a densidade do universo for menor que o valor de densidade crítica, então a forma do universo seria “aberta”, como a superfície de uma sela. Neste caso, o universo não tem limites e vai continuar a se expandir para sempre.
No entanto, se a densidade do universo for exatamente igual à sua densidade crítica, então a geometria do universo é “plana”, como uma folha de papel. Nesse caso, o universo não tem limites e se expandirá para sempre, mas a taxa de expansão irá gradualmente se aproximar de zero depois de uma quantidade infinita de tempo. Medições recentes sugerem que o universo é plano, com uma margem de cerca de 2% de erro.
 
5 – O universo está cheio de coisas invisíveis


O universo é majoritariamente composto de coisas que não podem ser vistas. Na verdade, as estrelas, planetas e galáxias que podem ser detectadas representam apenas 4% do universo. Os outros 96% são substâncias que não podem ser vistas ou facilmente compreendidas.
Estas substâncias elusivas, chamada de energia escura e matéria escura, ainda não foram detectadas, mas os astrônomos baseiam sua existência na influência gravitacional que ambas exercem sobre a matéria normal, as partes do universo que podem ser vistas.
 
6 – O universo tem ecos de seu nascimento


A radiação cósmica de fundo do universo é composta por ecos de luz que sobraram do Big Bang que criou o universo, 13,7 bilhões de anos de atrás. Esta relíquia da explosão coloca um véu de radiação em torno do universo.
Uma missão da Agência Espacial Europeia mapeou o céu inteiro à luz de micro-ondas para revelar novas pistas sobre como o universo começou. Essas observações são os pontos de vista mais precisos da radiação cósmica de fundo já obtidos.
Os cientistas esperam usar os dados da missão para resolver algumas das questões mais debatidas no campo da cosmologia, como o que aconteceu imediatamente depois que o universo foi formado.

7 – Pode haver mais de um universo


A ideia de que vivemos em um multiverso, que nosso universo é um dos muitos, vem de uma teoria chamada inflação eterna, que
sugere que logo após o Big Bang, o espaço-tempo se expandiu a taxas diferentes em lugares diferentes.
Segundo a teoria, isso deu origem a “universos bolha” que poderiam funcionar com as suas próprias leis da física. O conceito é polêmico e era meramente hipotético, até que estudos recentes procuraram marcadores físicos da teoria do multiverso no fundo cósmico de micro-ondas, que é uma relíquia do Big Bang.
Pesquisadores buscaram as melhores observações disponíveis do fundo cósmico de micro-ondas para detectar sinais de colisões, mas não encontraram nada de conclusivo. Se dois universos se colidiram, os pesquisadores afirmam que isso teria deixado um padrão circular para trás na radiação cósmica de fundo.
 
Fonte: Hypescience

domingo, 20 de novembro de 2011

Apolônio, Jesus e Paulo: HOMENS OU MITOS?

                                     Por Acharya S / DM Murdock

Ao longo dos séculos, algumas pessoas têm notado uma semelhança entre a vida do antigo sábio Apolônio de Tiana e o cristão salvador Jesus Cristo. Apolônio foi dito ter vivido no primeiro século, precisamente no momento do advento de Jesus, embora o primeiro supostamente viveu até cerca de 100 anos, enquanto o segundo teria morrido várias décadas antes.

Alega-se que centenas de estátuas de Apolônio foram erguidas durante os primeiros séculos da era cristã, com sua fama como um "homem divino", generalizada em torno do Mediterrâneo. 

Inúmeros eventos da vida de Apolônio, nos foram fornecidos, principalmente, por uma biografia criada em torno de 210 pelo Historiador Filóstrato, encomendada pela imperatriz Julia Domna, peculiarmente paralela a de Cristo. É difícil determinar o que, da Vida de Apolônio se constitui história, embora pareça haver confirmação, pelo menos, da existência de Apolônio. Na verdade, desde as coincidências estranhas entre sua vida e a de Jesus, tem sido sugerido, por não poucas pessoas, que Jesus Cristo é um personagem fictício baseado em grande parte, na vida de Apolônio de Tiana.

Além desse possível desenvolvimento, há correlações surpreendentes entre a vida de Apolônio e o apóstolo Paulo, que, como Jesus, estranhamente não encontra lugar na história contemporânea, apesar das reivindicações para que ele tenha feito muito barulho em uma parte povoada e bem documentada do mundo. Parece que as histórias de Jesus e Paulo foram em partes fabricadas a partir de Apolônio de Tiana.


A seguir descrição dos eventos pertinentes e características na vida de três homens, como registrado em várias fontes, particularmente na vida de Apolônio e na Bíblia. Deve-se notar que, assim como a Bíblia não reconhece "Apolônio de Tiana",  a biografia de Apolônio não mencionar Cristo, não menciona Paulo, não menciona os cristãos e nem o cristianismo. (Os eventos aqui não estão necessariamente em ordem cronológica, nem é a lista completa. Um tratamento mais completo deste importante assunto exigiria um volume inteiro..)


                   Apolônio: Nascido em 4 aC

Nascimento miraculosamente anunciado por um ser sobrenatural. Era filho de um deus e uma mulher mortal.
Levantes em Tarso. Religiosamente precoce como uma criança. Afirmou ser um falante nativo do aramaico. Associado com os sábios ou magos. Tinha um discípulo chamado Damis da Ásia Menor. Tinha um colega chamado Tito. Associado a um Demetrius. Associado a um Stephanus. Influenciado por Platão.
Renunciou à riqueza. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Eunucos discutidos para o reino da Babilônia. Era solteiro e sem filhos. Foi ungido com óleo. Foi a Jerusalém. Passou muito tempo em Antioquia. Fez viagens missionárias ao redor do Mediterrâneo. Viajou para o Oriente por três anos, onde foi ensinado por sábios. Escreveu epístolas instruindo os seguidores da espiritualidade. Falou em metáforas. Lutou com feras em Éfeso. Viu e previu o futuro. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou os espíritos malignos. Ressuscitou a filha de um oficial romano dos mortos. Fama distante e largamente. Reformador religioso. Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Falou como um "legislador". Fundou uma comunidade religiosa em Corinto. Estava em uma missão para trazer a cultura grega para os "bárbaros"
Convidava as pessoas não "refinadas" a se converterem. Acreditava ser um "salvador" do céu. Adorado como um deus. Acusado de ser um mágico. Teve sua vida ameaçada. Esteve perante um rei, cuja justiça ele desafiou. Foi acusado de matar um menino. Condenado por um imperador romano. Preso em Roma. Escapou milagrosamente da prisão. Naufragou. Desceu ao submundo. Foi para o céu. Apareceu postumamente a um detrator como uma luz brilhante. Diz-se que em dois lugares ao mesmo tempo. Teve sua imagem venerada em templos.

                       Jesus: Nascido em 4 aC

Nascimento miraculosamente anunciado por um ser sobrenatural. Era filho de um deus e uma mulher mortal.
Religiosamente precoce como uma criança. Afirmou ser um falante nativo do aramaico. Associado com os sábios ou magos. Tinha um discípulo chamado Thomas; abençoou um ladrão na cruz chamado Demas.
Platonismo refletido. Riqueza denunciada. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Eunucos discutido para o reino dos céus. Era solteiro e sem filhos. Foi ungido com óleo. Foi a Jerusalém. Falou em parábolas. Viu e previu o futuro. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou demônios.
Levantou a filha de um oficial judeu entre os mortos. Fama distante e largamente. Reformador religioso.
Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Falou como um "legislador". Estava em uma missão para trazer cultura judaica para a "nações". Convidava as pessoas "não salvas" a se converterem. Acreditava ser  um "salvador" do céu. Adorado como um deus. Acusado de ser um mágico. Teve sua vida ameaçada. Esteve perante um rei, cuja justiça ele desafiou. Foi acusado de matar um menino (Evangelho da Infância de Thomas). Condenado por autoridades romanas. Preso em Jerusalém. Desceu ao submundo. Subiu ao céu. Apareceu postumamente a um detrator como uma luz brilhante. Diz-se que em muitos lugares ao mesmo tempo. Teve sua imagem venerada em igrejas.

                      Paulo: Nasceu c. 2 CE?

Levantes em Tarso. Religiosamente precoce como uma criança. Alegou ser um orador do hebraico. Tinha um discípulo chamado Demas da Ásia Menor. Tinha um colega chamado Tito. Associado a um Demetrius.
Associado a um Stephanus. Influenciado por Philo / Platão. Pobreza abraçou. Abstinência e ascetismo seguido. Usava roupas e cabelos compridos. Era solteiro e sem filhos. Foi a Jerusalém. Passou muito tempo em Antioquia. Fez viagens missionárias ao redor do Mediterrâneo. Viajou para o Oriente por três anos, onde foi ensinado por Jesus. Escreveu epístolas instruindo os seguidores da espiritualidade. Lutou com "feras" em Éfeso. Realizou milagres. Curou os doentes. Expulsou demônios. Bem conhecido nas comunidades cristãs ao redor do Mediterrâneo. Reformador religioso. Falou com autoridade aos sacerdotes do templo. Fundou uma comunidade religiosa em Corinto. Confundido com um deus. Teve sua vida ameaçada. Condenado por um imperador romano. Preso em Jerusalém e Roma. Escapou milagrosamente da prisão. Naufragou.

Como pode ser visto, há muitos detalhes importantes que correspondem entre as vidas de três homens. De certa forma, é claro, um ou outro dos homens-santos foi superior em suas capacidades, tais como a reivindicação sobre Apolônio ser capaz de falar e entender "todas as línguas", sem ter estudado ou aprendido.

Em um desenvolvimento interessante, as viagens de Apolônio e de Paulo tomaram rotas muito semelhantes, embora geralmente em sentido inverso um do outro. Na verdade, foi calculado que Paulo e Apolônio estavam ambos em Éfeso e Roma, precisamente ao mesmo tempo. Seria muito estranho se dois homens tão semelhantes e poderosos, pregando para as comunidades religiosas nesses locais, fossem desconhecidos um do outro. A menos, claro, que um fosse o outro.

Curiosamente, o livro de Atos menciona um "Apolo" em Éfeso com Paulo, o nome de "Apolo" era uma abreviatura de "Apolônio". Em qualquer caso, abrangendo várias fraternidades e sites de escola de mistérios, a rota tomada por ambos, Apolônio e Paulo também foi mais ou menos a de Orfeu, um pregador da religião mítica de Dionísio, cujo epíteto foi dito ter sido IES , séculos antes da era cristã. Muitos outros, sem dúvida, também feziram essa peregrinação a estes locais sagrados pré-cristã e escolas de mistério ao longo dos séculos.
                                              
Não são apenas as viagens de Paulo e Apolônio que são muito semelhantes, seus nomes são também. Enquanto Paulo é "Paulos" em grego, Léxico de Thayer afirma que "Apolo" é, segundo algumas autoridades antigas, contraídas a partir de "Apollonios". Curiosamente, "Apolo" é mencionada em cinco lugares na Epístola de Paulo 1 para os Corinthianos, de tal forma a atribuir grande importância para ele.

Além disso, o nome de "Apolônio", tem sido evidenciado, e também foi abreviado nos tempos antigos como "Pol", mas este escritor não foi capaz de confirmar essa alegação. Foi ainda afirmado que o autor da Epístola aos Hebreus não era "Paulos", mas "Apolo", uma afirmação interessante tendo em consideração o fato de que Hebreus está escrito em "grego hebraistic" e que Apolônio foi dito ser um nativo falante da língua hebraistic do aramaico. Estranhamente, Hebreus foi uma das três epístolas que estava faltando no primeiro Novo Testamento compilado por Marcion. Além disso, existem vários "Paulines", escritos que apareceram após a suposta morte de Paulo, durante o período em que Apolônio foi dito ser ainda vivo.




Fonte: http://www.truthbeknown.com/apollonius.html















sábado, 19 de novembro de 2011

SOBRE A EXISTÊNCIA DE ETS



A descoberta de alienígenas inteligentes seria estonteante em muitos aspectos, mas pode representar um dilema especial para as religiões do mundo.

Os cristãos, em particular, podem ser afetados mais fortemente por notícias assim, porque o sistema de crença cristã não permite facilmente outros seres inteligentes no universo.

Fica a pergunta “Jesus morreu por aliens também?”. De acordo com o cristianismo, o evento histórico há cerca de 2 mil anos era para salvar toda a criação divinda. Imagine o dilema…

Veja como o debate será: se toda a criação inclui 125 bilhões de galáxias com centenas de bilhões de estrelas em cada uma, como os astrônomos pensam, então o que aconteceria se algumas dessas estrelas tivessem planetas com civilizações avançadas também? Por que Jesus Cristo veio à Terra, de todos os planetas habitados no universo? Para salvar os terráqueos e abandonar o resto das criaturas de Deus?

Um professor de filosofia da Ruhr-University Bochum, Christian Weidemannof, se autodescreve como cristão protestante e sugeriu algumas soluções possíveis. Talvez os extraterrestres não sejam pecadores, como seres humanos, e portanto não precisem de salvação. No entanto, o princípio da mediocridade – a ideia de que o seu exemplo é mais provável, a menos que você tenha provas em contrário – lança dúvidas sobre isso.

Se existem seres inteligentes extraterrestres, é seguro assumir que a maioria deles são pecadores também, disse Weidemann. Se for assim, Jesus irá salvá-los também? Provavelmente não. Então, a nossa posição entre os seres inteligentes no universo seria muito excepcional.

Outra possibilidade é a de que Deus encarnou várias vezes, enviando uma versão de si mesmo para salvar cada planeta habitado separadamente.
No entanto, com base nas melhores estimativas de quantas civilizações poderíamos encontrar no universo e por quanto tempo os planetas e as civilizações são esperadas para sobreviver, encarnações de Deus teriam que estar em cerca de 250 lugares simultaneamente em um dado momento, assumindo que cada encarnação levou cerca de 30 anos.

Se Deus realmente se tornou corpóreo e tomou forma humana quando Jesus Cristo nasceu, as várias reencarnações não teriam sido possíveis.

Embora a descoberta de inteligência extraterrestre provavelmente estimule um profundo exame de consciência nas pessoas de todas as crenças, muitas das religiões do mundo podem facilmente se acomodar ao conhecimento do que ao cristianismo.

Isso parece ser um problema somente para o cristianismo.
No Islã, por exemplo, Maomé era um profeta, ou mensageiro de Deus, não Deus encarnado. Por isso, profetas adicionais poderiam simultaneamente visitar outros planetas para salvar espécies extraterrestres.

Em última análise, no entanto, a descoberta de alienígenas inteligentes não é suscetível de constituir uma grave crise para o cristianismo. Afinal, a religião já sobreviveu a desafiadoras revelações científicas antes.

Para Hoffmann, a religião é essencialmente conservadora. Você pode colocar quase qualquer coisa sob o seu nariz que ela não vai dar bola.
 
Fonte: Hypescience

domingo, 13 de novembro de 2011

10 CIDADES PERDIDAS QUE FORAM REDESCOBERTAS

1 – Pavlopetri – Grécia

Sempre que cidades perdidas são discutidas, Atlântida vem à mente. Embora não haja uma forte evidência de que Atlântida realmente existiu, além do conto alegórico de Platão, muitas cidades sofreram o destino suposto de Atlântida: ser engolida pelo mar. 
Pavlopetri era uma cidade pré-Grécia Clássica, que foi erguida na Idade da Pedra e persistiu até 1.000 a.C. O local submerso ofereceu aos arqueólogos uma perspectiva única sobre a vida no momento. A cidade foi provavelmente submersa pela elevação dos mares e a subsidência do solo causada por terremotos. Como o nível do mar oscilou muito ao longo da existência humana, é provável que outros locais existam nos oceanos aguardando descoberta.

2 – Palácio Cliff – EUA

O povo Pueblo, nativos americanos do sudoeste dos EUA, são nomeados pelas aldeias (Pueblos) que construíram. Embora existam comunidades pueblos ainda hoje, o Anasazi, uma sociedade pluebo antiga, floresceu entre 900 e 1200 d.C.
“Cliff Palace” (Palácio Cliff) foi construído nesta época de ouro dos Anasazi; a maioria dos edifícios é datado de 1.200 d.C. A ocupação do local foi de curta duração e abandonada por volta de 1.300 d.C. Ele permaneceu desconhecido no deserto até 1888.
O nome do local é meio equívoco, já que é mais como uma aldeia do que o que nós entendemos como um palácio. Embora a razão para o abandono da área não seja certo, a teoria amplamente aceita é que a primeira das grandes secas, que tem sido associada ao colapso da idade de ouro Anasazi, interrompeu a agricultura em toda a região.

3 – Akrotiri – Santorini

A civilização minóica de Creta é nomeada em homenagem ao mítico rei Minos, construtor do labirinto. Há pouco material escrito da civilização, então não sabemos como eles chamavam a si mesmos. A civilização inteira foi esquecida até a virada do século 20. Com a descoberta do grande palácio de Cnossos, as glórias dos minóicos foram redescobertas.
Mas, em vez do conhecido Cnossos, nessa lista está um posto avançado dessa civilização, Akrotiri, que fica na ilha de Santorini. Santorini, ou Thera, é a casa do vulcão Thera. Pensa-se agora que a explosão de Thera, por volta de 1.600 a.C., uma das maiores erupções na história, provocou o colapso do império. A descoberta de Akrotiri, em 1967, trouxe à luz frescos excepcionalmente bem preservados, casas de até três andares, e um complexo planejamento. O sistema de abastecimento de água sugere que o povo de Akrotiri tinha acesso a água corrente quente e fria, com a água quente fornecida pelo vulcão que os destruiu.

4 – Tikal – Guatemala

A cidade maia de Tikal foi a capital de um reino maia e uma grande cidade do Novo Mundo. O local foi ocupado entre 200 e 900 d.C. Graças à preservação quase perfeita da cidade, se sabe muito sobre a grandeza de Tikal no seu auge, assim como os reis poderosos que governaram lá.
Enquanto o local é, por vezes – como outras ruínas do Novo Mundo – listado como “misteriosamente” abandonado, pesquisas mostram que a terra não poderia suportar o grande número de pessoas reunidas lá. O abandono ocorreu ao longo de vários anos, e a cidade foi deixada para as selvas.
Parece, no entanto, que alguns moradores sabiam da sua existência durante esses anos, e rumores de uma cidade perdida na área persistiram. A primeira expedição organizada a cidade ocorreu em 1848. O que eles encontraram foi um dos maiores sites de sobreviventes do Novo Mundo. Existem pirâmides de até 70 metros de altura, palácios reais, monumentos e uma arena para jogar um jogo de bola maia.

5 – Timgad – Argélia

Timgad é a cidade perdida arquetípica das histórias de aventura. No passado uma cidade vibrante, fundada no deserto por ordem do imperador Trajano, sobreviveu às revoltas do império e cresceu a uma cidade de comércio de grande porte.
No século 5, renasceu como um centro da vida cristã. No século 7, vândalos levaram ao completo abandono da cidade. Nisso, as areias do Saara cobriram o local e o preservaram até sua redescoberta, em 1881. Agora, as ruínas da cidade dão um insight brilhante sobre cidades romanas das províncias africanas. As ruas seguem um design perfeito, como seria de esperar de uma cidade construída sob encomenda. Hoje, pode-se ver o arco de Trajano, os locais de banhos e o templo de Júpiter. O templo é tão grande quanto o panteão em Roma, mostrando a importância da cidade. No fórum, lê-se a inscrição: “Para caçar, tomar banho, jogar e rir. Esta é a vida!”.

6 – Machu Picchu – Peru

Nenhuma lista de cidades perdidas está completa sem Machu Picchu. Esta cidade inca fica em um pico nos Andes. Foi apenas habitada por um curto período de tempo, de 1450 a 1572 d.C., antes de ser abandonada como resultado da conquista espanhola da América do Sul.
Como os espanhóis nunca encontraram a cidade, e moradores não revelaram a sua localização, Machu Picchu só chamou a atenção do Ocidente no início do século 20. Ainda há debate sobre a “função” de Machu Picchu: seria um retiro real, um santuário religioso?
Hoje, é fácil chegar até lá, com ônibus e trens regulares. Isto levou a preocupações sobre a sustentabilidade de um grande número de visitantes, no entanto, dadas as vistas maravilhosas e as ruínas esplêndidas, não dá pra deixar de ir até a região.

7 – Mohenjo-daro – Paquistão

Junto com as civilizações egípcia e mesopotâmica, a civilização do Vale do Indo é considerada uma das mais antigas do mundo. A civilização do Vale do Indo atingiu o seu pico cerca de 2000 a.C., embora seja consideravelmente mais velha.
Ciência, comércio, artesanato, religião e agricultura progrediram notavelmente. A natureza avançada desta civilização pode ser vista em Mohenjo-daro, com as suas ruas ordenadas e sistema de drenagem. Ao contrário de outros locais desta lista, não há palácio ou complexo, ou templo. Isso levou alguns a considerar a civilização do Vale do Indo como igualitária, no entanto sabemos muito pouco das pessoas que viviam em Mohenjo-daro, de modo que tal declaração não é definitiva. A inundação parece ter destruído a cidade, e novas cidades foram construídas diretamente sobre as ruínas. O que causou seu abandono final não é claro, mas ocorreu por volta de 1800 a.C. Mohenjo-daro só foi redescoberta em 1922.

8 – Petra – Jordânia

A inclusão de Petra nessa lista pode se provar controversa, já que se pode questionar se estava realmente perdida. Foi certamente abandonada, mas pode ter sido muito bem conhecida pelos locais.
De qualquer forma, ela foi perdida do conhecimento ocidental por pelo menos mil anos. Ela foi levada para o domínio romano em 103 d.C. A cidade floresceu no deserto até que um terremoto destruiu seu sistema de água vital. Com outras cidades disponíveis, pareceu mais fácil simplesmente abandonar o local do que a reconstruir.
A partir de então, o local foi deixado pelo deserto, atraindo apenas viajantes curiosos e ladrões de túmulos. Agora, é um dos grandes sites arqueológicos no Oriente Médio. A cidade é meia construída, meia esculpida nas rochas vermelhas das colinas que habita. A arquitetura é uma fusão de nabateu, romano, grego e nativo.
 
9 – Tróia – Turquia

“Cante, ó Musa, a ira de Aquiles, filho de Peleu”. Assim começa a Ilíada de Homero, o texto fundamental da literatura ocidental. Por toda a importância colocada na Ilíada, foi por muito tempo pensado que Tróia era tão mítica quanto Atlântida.
Então, em 1871, um classicista autodidata, Heinrich Schliemann, financiou uma escavação em uma colina em Hissarlik. Lá, onde em tempos antigos uma cidade chamada Ilium (assim Ilíada) tinha estado, eles descobriram enormes muralhas defensivas do tipo descrito por Homero.
Bem como as muralhas de Tróia, Schliemann descobriu joias de ouro que mostrou como as joias de Helena. Este tesouro que se pensava perdido após a Segunda Guerra Mundial foi, de fato, saqueado pelos soviéticos e pode ser encontrado no museu Pushkin.
Escavações modernas do local revelam que a cidade era grande, grande o suficiente para ser a base da lenda antiga. Eles também descobriram que foi fundada por volta de 3000 a.C. e destruída várias vezes. Cada nova cidade foi construída sobre as ruínas da passada. Há um intenso debate sobre qual destas camadas pode se relacionar com a cidade sitiada pelos gregos. Curiosamente, as paredes poderosas da cidade teriam muito superado qualquer armamento de cerco disponível por atacantes – isso é o que a Ilíada descreve, e explica a necessidade de trapaças como o cavalo de Tróia.

10 – Pompéia e Herculano – Itália

“Havia alguns com tanto medo da morte, que rezavam para morrer”. Isso escreveu Plínio, o Jovem, sobre a erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C.
Seu tio, o grande ancião Plínio, tinha tomado a frota romana em toda a baía de Nápoles para resgatar as pessoas presas no sopé do vulcão. A expedição custaria a Plínio, o Velho, sua vida, conforme as cidades de Pompéia e Herculano foram sufocadas em cinzas.
As cinzas, que destruíram tantas vidas, perfeitamente preservaram as duas cidades por 1.700 anos. Enquanto muitas vezes nós pensamos nos antigos romanos como um povo habitando um mundo perfeito de mármore branco, Pompéia revela uma cidade real, com muitas características que reconheceríamos hoje.
Slogans políticos são pintados nas paredes – “Vote para Sabino Popídio Lucius!” – e há grafites nas paredes dos banheiros. Um mural mostra um motim que ocorreu ao redor do anfiteatro na cidade. Ela tem sido uma mina de ouro para os arqueólogos e é um local turístico. Ao contrário de outras cidades, aqui você ainda pode ver alguns de seus habitantes; pontilhados ao longo das ruínas, estão os fantasmas medonhos dos mortos cujos corpos deixaram buracos nas cinzas.
 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Camisinha-viagra



Dois coelhos com uma cajadada só. Os médicos especialistas da empresa britânica de biotecnologia Futura Medical conseguiram desenvolver um produto que auxilia no tratamento da disfunção erétil e ainda incentiva o sexo seguro: trata-se da “camisinha-viagra”.

O preservativo está prestes a receber a aprovação regulatória na Europa Continental e no Reino Unido. A companhia farmacêutica Reckitt Benckiser Group tem esperanças de colocá-lo à venda dentro de um ano. Até lá, a empresa espera que, depois de mais estudos clínicos, o produto também obtenha aprovação para os consumidores dos EUA.

Os médicos relatam que a teoria por trás da nova camisinha não apresenta nada de especial. Encontrar o ingrediente ativo foi fácil: os investigadores usaram um produto químico vasodilatador comumente utilizado para combater a angina – dor intensa e latejante no peito que ocorre quando o coração não recebe sangue o suficiente.

A parte mais dura foi descobrir como manter o gel com o ingrediente ativo dentro do preservativo de modo que o vasodilatador tocasse somente o pênis do usuário durante a relação sexual. No entanto, os pesquisadores conseguiram superar esse obstáculo e chegar a um produto viável.

O empresário James Barder, representante da Futura nos Estados Unidos, explica a dificuldade encontrada. “O desafio é manter o líquido vasodilatador estável dentro do preservativo, ou seja, condicionar um gel que não cause prejuízo à estrutura do produto. Algumas substâncias podem degradar o látex muito rapidamente”.

Dada a popularidade da pílula do Viagra, encontrada hoje em dia nos mais diversificados estabelecimentos, a camisinha-viagra tem como objetivo conseguir igual penetração no mercado, valendo-se principalmente de sua função dupla.

O novo preservativo ainda possui um atrativo a mais para incentivar relações sexuais sem o perigo da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs): os fabricantes afirmam que o produto não escorrega do pênis durante o sexo, um problema surpreendentemente comum relatado pelos homens.

Fonte: Hypescience

sábado, 5 de novembro de 2011

PREVISÃO MAIA PARA 2012

Qual é a previsão dos maias para 2012? 






    
























A ideia de que os maias profetizaram o fim do mundo para o ano de 2012 é, na realidade, um erro de interpretação. Quem explica isso é o antropólogo Orlando Casares Contreras, do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), do México, no guia do museu que acompanha a grande exposição sobre o legado maia, chamada "A Sociedade e o tempo maia", que está sendo exibida no Museo del Oro, de Bogotá, Colômbia, desde a última quinta-feira. Como explica na seção "Presságios e profecias maias", a era tem 5.125 dias e, ao chegar ao seu fim, o que acontece é que uma nova era se inicia, o que não quer dizer que vá ocorrer desastres, mas sim que os eventos diários, tanto bons como ruins, voltarão a acontecer. Isto tem a ver com a visão do cosmo mais profunda dos maias, segundo a qual, explica Casares, não há lugar para conceber um "fim do mundo", por sua natureza cíclica.


A imponente mostra consiste em 96 peças arqueológicas de grande valor, destacando os conhecimentos avançados em matemática, astronomia e escrita da cultura maia. A exposição permanecerá em Bogotá até fevereiro de 2012, tempo suficiente para se mergulhar nos mistérios e na sabedoria desta cultura ancestral e conhecer como eles viam este mundo que, segundo seus textos, não acaba, simplesmente, entra em uma nova era.

domingo, 30 de outubro de 2011

10 ANIMAIS "GAYS"

1 – Chimpanzé pigmeu


Considerado o parente vivo mais próximo aos seres humanos, os chimpanzés (conhecidos como bonobos) não têm vergonha de buscar o prazer sexual. Quase todos estes macacos amantes da paz são bissexuais e muitas vezes resolvem o conflito pelo princípio de “fazer amor, não a guerra”. Eles copulam frequentemente, gritam de prazer ao fazê-lo e muitas vezes se envolvem em atividades homossexuais. Cerca de dois terços dessas atividades são entre as fêmeas.



2 – Macacos



Macacas formam laços intensos com os outros e são seriamente monogâmicas, o que significa que elas só têm um parceiro sexual por vez. No entanto, elas têm várias dessas relações durante cada estação. As macacas também se envolvem em atividades sexuais como a estimulação genital e vocalizam seu prazer em forma de sons parecidos com um cacarejar. Os machos também fazem jogos homossexuais, mas tendem a deixar o seu parceiro logo depois, tornando-se o que chamamos no mundo humano de “companheiro de uma noite só” (famosa “ficada”).



3 – Girafas



Namoros masculinos são frequentes entre estes mamíferos de pescoço comprido. Muitas vezes, eles começam a acariciar um ao outro antes de prosseguir. Este jogo carinhoso pode levar até uma hora. De acordo com um estudo, um em cada 20 girafas machos é encontrado em plena carícia com outro macho em qualquer instante. Em muitos casos, a atividade homossexual parece ser mais comum do que a heterossexual.



4 – Golfinhos nariz de garrafa



Golfinhos machos geralmente são bissexuais, mas eles passam por períodos exclusivamente homossexuais. As atividades homossexuais destes mamíferos incluem o sexo oral durante o qual um golfinho estimula o outro com seu focinho. Os machos também esfregam o pênis ereto contra o corpo de seu parceiro.



5 – Bisão



A relação homossexual entre machos tende a ser mais comum do que a cópula heterossexual entre o bisão americano, especialmente porque as fêmeas copulam com os touros apenas uma vez por ano. Durante a época de acasalamento, os machos se envolvem em atividades com o mesmo sexo várias vezes ao dia. Mais de 55% dessas relações em machos jovens são com parceiros do mesmo sexo.



6 – Antílopes



Em média, as fêmeas se relacionam com outras fêmeas cerca de duas vezes por hora durante a temporada de acasalamento. Essas relações abrangem quase 9% de todas as atividades sexuais nesses mamíferos. Durante o namoro, uma perseguidora se insinua por trás de uma amiga e levanta a pata dianteira, tocando-a entre as pernas. Estas preliminares acabam por conduzir a relação.



7 – Cisnes



Casais homossexuais são responsáveis por até 20% de todos os pares de cisnes anualmente. Quase um quarto de todas as famílias são aproximadas por casais homossexuais que permanecem juntos por anos. Às vezes, os casais homossexuais masculinos cruzam com fêmeas para ter filhos. Depois que ela estabelece uma ninhada de ovos, os pais afastam ela para longe e chocam os ovos. Outras vezes, eles simplesmente expulsam casais heterossexuais de seus ninhos e adotam seus ovos.



8 – Morsas



Os machos não alcançam a maturidade sexual antes dos quatro anos de idade. Durante esse tempo, eles se mantém envolvidos em relações com o mesmo sexo. Os machos mais velhos são normalmente bissexuais, acasalam com as fêmeas durante a época de reprodução e copulam com outros machos o resto do ano. Machos esfregam seus corpos juntos, abraçam uns aos outros e até dormem juntos na água.



9 – Baleias cinzentas



Espirrar água tem um significado completamente diferente para baleias cinzentas, onde as interações homossexuais são bastante comuns. Em escorregões e orgias, mais de cinco machos rolam, espirrando água e esfregando a barriga uns contra os outros, para que seus órgãos genitais se toquem.



10 – Galo-da-serra



Os machos dessa espécie de ave se deliciam na homossexualidade. Quase 40% da população masculina se engaja em uma forma de atividade homossexual e uma pequena porcentagem nunca copula com as fêmeas.



domingo, 16 de outubro de 2011

CRISTÃOS E MUÇULMANOS SE MATAM NA NIGÉRIA

Foto: Internet
Nigéria é uma região rica em petróleo. A população da Nigéria é formada, em sua maioria, por cristãos e muçulmanos, sendo 40% de cristãos que vivem mais para o sul do país e 50% de muçulmanos que estão ao norte da Nigéria.

Lá(na Nigéria) existem uma profunda divisão religiosa entre cristãos e muçulmanos, fazendo com que esses estejam sempre matando-se entre si em nome da fé!

A maior contenda entre cristãos e muçulmanos está na região de Jos(CIDADE-ESTADO DO ESTADO DE PLATEAU). Nesse estado(Plateau), o governo é cristão e, dificulta as coisas para os muçulmanos. Os muçulmanos se revoltam por não terem as mesmas oportunidades de trabalho que os cristãos, gerando assim, a violência, o medo e o caos.

Na disputa pela riqueza de Jos(capital de Plateau) que está localizada no cinturão do meio da Nigéria, cristãos e muçulmanos teem promovidos verdadeiros banhos de sangue, matando-se entre si constantemente em nome de um deus qualquer!

Em janeiro de 2009, os cristãos atacaram os muçulmanos sem dó e sem piedade. Os cristãos armaram-se com pás, machados, foices, revólveres, metralhadoras, picaretes e tudo que puderam, saíram para o massacre. Atacaram os muçulmanos matando jovens, velhos, homens, mulheres e crianças, não poparam ninguém, ao todo foram mais de 300 pessoas mortas e centenas de feridos, um verdadeiro banho de sangue em nome do deus da bíblia!

Em março de 2010, os muçulmanos resolveram vingar-se dos cristãos, pois agora Deus estava com eles? Também armados de revólveres, machados, foices, facas, metralhadoras e tudo que puderam, os muçulmanos partiram para o massacre! Invadiram casas e sairam matando todo cristão que encontravam pela frente(nem as crianças foram poupadas), um verdadeiro banho de sangue em nome do deus do corão(QUE É MESMO DA BÍBLIA)!

Foto: Internet
A fé separa as pessoas, a fé faz o ser humano odiar o seu próximo a ponto de querer destruí-lo em nome de DEUS!


Foto; Internet







domingo, 9 de outubro de 2011

10 DEMÔNIOS CULPADOS PELO MAL COMPORTAMENTO DOS HUMANOS

Durante a Idade Média, demônios eram presenças constantes. Responsabilizados por tudo, desde vozes roucas a nudez pública, demônios eram uma força onipresente e um culpado viável para todos os aspectos ruins da natureza humana. 
Demonologistas medievais escreveram enciclopédias inteiras, incluindo A Chave Menor de Salomão, Compendium Maleficarum, História Admirável, e Pseudomonarchia Daemonum (em português, “falsa monarquia dos demônios”), dedicados à classificação de demônios e suas contribuições.
Conforme as pessoas se afastaram da crença nessas forças malévolas, começaram a admitir responsabilidade pelo próprio comportamento ruim. 
Confira uma lista de demônios responsáveis por vários comportamentos na verdade humanos:

1 – Ardad, o demônio que faz os viajantes se perderem


Se você já tirou férias e teve problemas para encontrar seu hotel, seu carro, seu mapa, sua medicação, ou o resto de sua família, você provavelmente encontrou Ardad, o demônio que faz os viajantes se perderem.
Ardad não é tão poderoso como demônio, porque seu trabalho é seduzir um comportamento que a maioria dos mortais não tem problemas em ter por conta própria. Talvez ele possua mais frequentemente os homens que são inflexíveis em perguntar por direções, e também seja responsável pelo mau funcionamento do GPS nas grandes cidades.

2 – Agares, o demônio dos terremotos, da linguagem chula e da destruição da dignidade


Você está atrasado para uma reunião no seu novo emprego. Você se senta na mesa, e o fervor de comunicação morre até a sala ficar quase silenciosa, até que você derrama café quente em toda a sua roupa e grita um sonoro e audível “#*$@!”.
Um silêncio mortal invade a sala, e você sente a repugnância nos olhos de seus novos colegas de trabalho graças a sua falta de profissionalismo. Felizmente, você pode se explicar dizendo que você está lutando contra o demônio Agares.
Agares é um grão-duque do inferno que preside mais de 31 legiões de demônios. Ele particularmente gosta de destruir dignidades, ensinar linguagens sujas, e faz com que aqueles que correm fiquem parados. Agares também pode causar terremotos.

3 – Astaroth, o demônio da vaidade, preguiça e racionalização


Depois de acordar às 11:30 da manhã, a preguiça de caminhar até a cozinha para fazer café da manhã o faz pegar o telefone e pedir comida. Em seguida, você liga a TV e passa o dia todo vendo programas inúteis, imaginando que se você fizesse parte daquele roteiro, seria provavelmente o protagonista gostosão. Ao fim do dia, você diz a si mesmo que não houve problema em ter passado as horas dessa forma, já que você trabalha tão duro a semana toda e tem poucas chances de descansar. No dia seguinte, você faz a mesma coisa.
Se você já se encontrou nesta situação antes, provavelmente estava atormentado pelo demônio Astaroth, que provoca a preguiça, a vaidade, e a racionalização. Ele, no entanto, dá poder às serpentes. O melhor remédio para uma “infecção” de Astaroth é uma oração ao seu arqui-inimigo São Bartolomeu, que lhe ensina como não sucumbir às tentações de Astaroth.

4 – Ose, o demônio da insanidade

Você tem um grande problema se o demônio Ose possuir você, pois você vai realmente acreditar que é um rei, o papa, ou qualquer criatura. A maioria das pessoas rotula este tipo de comportamento como loucura, o que é exatamente o que Ose planeja para manter seu disfarce.
Ose é um presidente do inferno e dirige trinta legiões de demônios. Se você tiver um problema com este demônio, provavelmente não saberá, já que ele transforma os pensamentos dos mortais infligidos a acreditar que eles são da forma que ele escolhe.

5 – Sitri, o demônio que faz as pessoas revelarem-se nuas

Sitri faz os homens e mulheres revelarem-se nus, e ironicamente revela os segredos das mulheres. A presença de Sitri provavelmente é disfarçada em festas de faculdades ao redor do mundo. Para aqueles que comumente fazem um papel ridículo quando embriagados, ou para aquelas que morrem de vergonha depois de um caso de uma só noite embaraçoso, pode ser reconfortante saber que você tem alguém para culpar além de suas próprias más escolhas.
Em A Chave Menor de Salomão, Sitri é um grande príncipe do inferno, reinando sobre 60 legiões de demônios. Acho que um bom remédio para uma possessão de Sitri é deixar a casa usando bastante camadas de roupas e sem ter tomado um gole de álcool.

6 – Pruflas, o demônio da discórdia, brigas e falsidade

Se você e seu(a) namorado(a) brigam absolutamente o tempo todo, vocês não precisam terminar; precisam é de um exorcismo. Pruflas, como dito pelo demonologista Johann Weyer em Pseudomonarchia Daemonum, é um duque do inferno, com 26 legiões de demônios sob seu domínio. Ele promove a discórdia, brigas e falsidade. Tenha em mente, as infidelidades e mentiras não podem ser atribuídos a qualquer uma das partes: a culpa é de Pruflas.

7 – Belzebu, o demônio da glutonaria


Você sabe que está lutando contra Belzebu quando, após a sua terceira viagem até o Buffet “tudo o que você aguenta comer”, você retorna a uma mesa cheia de amigos com um prato igualmente cheio de comida e não consegue deixar de pensar sobre o quão bom será comer um banana split triplo com chantilly e nozes quando terminado o seu banquete.
O mais provável é a presença do demônio da gula em sua alma. E você deve ficar lisonjeado. Belzebu é um demônio e tanto. Na verdade, ele é um dos três anjos caídos mais proeminentes, fortes e poderosos, ao lado de apenas Satanás e Leviatã. E, quando ele não está causando ciúmes e assassinatos ou seduzindo a guerra, ele está fazendo você comer Cheetos.

8 – Asmodeus, o demônio da luxúria


O barman novo do local em frente ao seu escritório parece muito sexy, e não é apenas o álcool que você tomou. Você
encontra-se dando uma gorjeta ao lado de uma piscada e um sorriso sedutor, esperando por uma chance de sua companhia no banheiro. O problema é que você é casada.
Esses estranhos desejos sexuais e seu quase desaparecimento pela natureza irresistível da sua própria concupiscência são facilmente atribuídos a Asmodeus, o demônio patrono do pecado mortal. Mantenha as calças nas pernas, no entanto, porque aqueles que caem na sedução de Asmodeus passam a eternidade banidos ao segundo nível do inferno.
Ele é o rei do inferno e responsável pela luxúria dos sete pecados capitais, com maior potência em novembro. Reza a lenda que ele pode facilmente ser enxotado pelo cheiro gerado quando se coloca um coração e um fígado de peixe em cinzas queimando.

9 – Verrine, o demônio da impaciência


Você não suporta mais do que cinco minutos em qualquer fila. Mais do que isso: após três minutos, você começa a ficar vermelho e gritar com qualquer pessoa a sua frente – velho, criança, deficiente.
Todo mundo que já lhe viu nessa situação poderia suspeitar que você está infectado com uma presença demoníaca, cujo nome é Verrine, responsável pela impaciência. Verrine é um príncipe dos tronos, e está listado na primeira hierarquia de demônios, como explicado por Sebastien Michaelis em História Admirável. Rezar para São Domingos pode ajudá-lo a se livrar deste demônio; é claro que provavelmente ajudaria se todos à sua volta não fossem tão idiotas.

10 – Lúcifer, tudo o que é mal


Na medida em que os sete pecados capitais estão em causa, Lúcifer é responsável pelo orgulho nos mortais. Este pecado vem do próprio orgulho de Lúcifer, resultando em sua queda do céu. Lúcifer amava a si mesmo acima de qualquer coisa, e sem a ignorância como uma desculpa.
Classificado como o mais alto dos anjos, com seu assento no céu ao lado de Deus, Deus permitiu-lhe poder sobre a Terra.
Quando Deus deixou seu assento, no entanto, Lúcifer sentou-se no trono celestial. Este ato de orgulho de Lúcifer começou uma guerra entre os anjos, e quando Miguel finalmente conseguiu banir Lúcifer do céu, ele foi lançado para a Terra e passou a ser chamado de Satanás.
Os anjos que o seguiram na queda tornaram-se os demônios que criaram todas as aflições da natureza humana, com Lúcifer como o rei. Os plebeus não têm necessidade de se preocupar muito com a forte influência de Lúcifer na Terra, já que ele prefere figuras mais proeminentes como vítimas de sua possessão direta. Historicamente, a sua presença tem sido vista nos tirânicos orgulhosos de Roma, mas nós poderíamos argumentar que o seu carisma está ressurgindo em alguns líderes mundiais mais recentes.