quarta-feira, 30 de junho de 2010

O CÓDIGO DE PLATÃO

Um pesquisador britânico afirma ter desvendado os segredos ocultos nas obras do filósofo grego Platão, mais de dois mil anos após sua publicação.


A existência de um suposto "Código de Platão", com mensagens ocultas em seus textos, era debatida há tempos por estudiosos da filosofia. Segundo Jay Kennedy, professor de história da ciência na Universidade de Manchester, sua descoberta tem o potencial de revolucionar o entendimento da história da origem do pensamento ocidental.

Segundo ele, Platão utilizaria um padrão regular de símbolos, herdados dos antigos seguidores do filósofo e matemático Pitágoras, para dar aos seus livros uma estrutura musical.

Um século antes de Platão, Pitágoras declarou que os planetas e as estrelas produziam uma música inaudível, chamada por ele de "harmonia das esferas". Platão teria seguido essa ideia em seus escritos, segundo Kennedy.

Revolução científica

O estudo, publicado na revista especializada americana Apeiron, afirma que Platão teria antecipado a revolução científica promovida por Galileu Galilei e por Isaac Newton em 2 mil anos ao entender a estrutura básica do universo de forma matemática.

Platão (nascido por volta do ano 427 antes de Cristo e morto por volta de 347 antes de Cristo), ao lado de seu mentor Sócrates e de seu estudante Aristóteles, é considerado um dos fundadores da filosofia e da ciência ocidentais modernas.

"Os livros de Platão tiveram um importante papel na fundação da cultura ocidental, mas eles são misteriosos e terminam em enigma", afirma Kennedy. "Na antiguidade, muitos dos seus seguidores disseram que os livros continham camadas escondidas de compreensão e códigos secretos, mas isso foi rejeitado por estudiosos modernos", diz o professor, que afirma agora ter provado que os segredos realmente existiam.

Música

Kennedy, que passou cinco anos estudando os escritos de Platão, descobriu que em uma de suas obras mais famosas, A República, ele colocou grupos de palavras relacionadas à música após cada duodécimo do texto.

Segundo o pesquisador, cada uma delas representava uma das doze notas da escala musical grega - algumas notas harmônicas, marcadas por descrições de sons associados com o amor ou o riso, e outras dissonantes, marcadas por descrições de sons de chiados, a guerra ou a morte. "Ao ler seus livros, nossas emoções seguem os altos e baixos de uma escala musical. Platão utiliza seus leitores como instrumentos musicais", afirma.

Segundo Kennedy, o filósofo teria escolhido essa maneira para conseguir passar de maneira oculta sua mensagem de que o mundo é regido por leis matemáticas, não por Deuses, o que contrariava a crença religiosa grega e ameaçava sua segurança.

Sócrates, o mentor de Platão, foi condenado e executado por heresia, e a decisão de esconder sua mensagem em seus textos poderia ter sido uma maneira encontrada por Platão para evitar destino semelhante, na avaliação de Kennedy.

FONTE: ultimo segundo

domingo, 13 de junho de 2010

UM DEUS ARREPENDIDO? PODE?

Gênesis 6 : 6 - 7

O Senhor arrependeu-se de ter criado o homem na terra, e teve o coração ferido de íntima dor.
E disse: "exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver criado.

OBS: Ora sendo deus oniciente, não pode se arrepender, pois de antemão já sabia como tudo seria, e mesmo sabendo, assim o fez, se fez assim, é porque queria que fosse exatamente como é. Logo tudo que está errado é por culpa de deus.

Números 23 : 19

Deus não é homem para que minta; nem filho do homem para que se arrependa; porventura diria ele, e não faria? ou faria e não confirmaria?

OBS: Nessa passagem(Números 23 : 19) fica claro a contradição com a passagem de Gên 6 : 6 - 7, pois na primeira afirma que deus se arrependeu, na segunda afirma que deus não se arrepende. Em qual das duas os crentes preferem acredita? Se acreditarem na primeira, eles mesmos estarão afirmando que deus não existe, pois se deus se arrependeu do que fez é poque não é oniciente, e não sendo oniciente, não pode ser um deus...
Se acreditarem na segunda, estarão dizendo que na bíblia há contradição, logo, também estarão dizendo que deus não existe, pois sendo a bíblia imspirada por deus, essa não poderia conter contradição, pois assim sendo, deus não saberia o que estava fazendo no momento que supostamente, teria inspirado seus filhos a escreverem a bíblia, então não sabendo como inspirar seus filhos a escreverem a bíblia, não pode ser deus, mas homem, ou seja a bíblia, com certeza foi inscrita pela própria inspiração da MENTE HUMANA, baseada em outras mitologias antigas, é claro.