domingo, 25 de outubro de 2009

O CAMINHAR



Deito-me, não consigo dormir

Levanto-me a procura de algo para fazer,

Não encontro,

Caminho dentro de casa

E nada encontro

Que me faça sentir-me totalmente feliz.


Caminho dentro de mim

E lá eu encontro você,

A mulher da minha vida

A mulher que eu tanto amo

Que quero e não posso tê-la,

Não posso tê-la aqui comigo.


Vai-se a noite, vem o dia,

Eu caminho pelas ruas,

Tento te esquecer

Mas você está em toda parte

Em toda mulher que eu olho

Em qualquer lugar que eu vá.


Sento-me no banco de uma pracinha

Olho para o céu infinito,

Fecho os olhos e caminho no espaço

E você também está lá,

Mas está bem distante de mim

E eu não consigo te alcançar.


Abro os olhos e compreendo

Que estou sempre caminhando em mim,

Nos caminhos de minha mente

Onde você estar dia e noite

Mas não deixa que eu te alcance

E possa entrar e caminhar em ti.
 
 
http://clubedeautores.com.br/book/5480--SOFRIMENTO_DE_UM_POETA
 
 

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A CIÊNCIA UNIVERSAL


"Os números governam o mundo"

Isso nós já sabemos,

Pois a Matemática está presente

Em tudo o que nós fazemos.



Entender a Matemática

Não é difícil como se pensa,

Basta gostar e estudá-la

Para tê-la em nossa conciência.



E para aprender Matemática

É preciso querer e praticar,

E perceber que diariamente

Estamos sempre a calcular.



A Matemática é o mundo,

É o universo dos cientistas,

É a ferramenta indispensável

Para todos os campos de pesquisas.



É uma ciência abstrata

Sem mudanças precoces,

E todos são obrigados a usá-la

Mesmo que dela não goste.



É uma ciência fantástica,

É ciência exata e natural,

É a rainha das ciências

É a ciência universal.



ANTONIO CASSIANO

sábado, 10 de outubro de 2009

VENHA DEPRESSA


Quero que você venha pra mim,

Quero que você seja só minha,

Venha depressa preencher a minha vida

Que está triste e também vazia.



Não me rejeite, não diga que não,

Perdoa-me se algum mal te fiz,

Venha depressa, eu estou te esperando,

E te prometo te fazer muito feliz.



Meu coração está quase explodindo

De tristeza e de solidão,

Venha depressa em nome do amor

Seja piedosa e tenha compaixão.



Não queira ser culpada de homicídio

Pela morte de um homem apaixonado,

Venha depressa, eu estou ficando louco

Estou deprimido, estou desesperado.



A minha vida sem você é um inferno,

O céu já não existe para mim

Venha depressa, eu estou morrendo aos poucos,

E não demores senão será meu fim.



Aqui eu termino meu pedido

Em prantos e em grande aflição

Venha depressa acabar a dor terrível

Que me destrói a mente e o coração.



Antonio Cassiano(O POETA SÓ)