segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O EU SOU NA MORTE



Eu serei o Eu Sou na morte,
serei a revelação maior,
serei o cosmo infinito,
serei a eternidade da morte.

Na morte eu serei a energia comum,
a energia comum a todas as vidas,
e toda vida que for para morte,
será o Eu Sou, e seremos somente UM.

Na morte eu serei a vida,
serei a vida original,
serei todo bem, serei todo mal.

Na morte eu serei o Pai,
serei o Filho e o Espírito Santo,
serei o divino, e também o satânico.


ANTONIO CASSIANO 06/07/1996

O POETA DA MORTE



Eu sou um poeta da vida,
Eu sou um poeta da morte
Pois a morte é minha vida
E a vida é minha morte.

Eu morri quando nascir
E a morte eu estou vivendo,
E estou morrendo na vida,
E nascerei quando morrer.

Na morte eu serei a vida,
Serei a vida universal
Serei a vida de toda morte.

Na vida da morte não mais morrerei,
Serei a vida da morte eternamente,
Serei o todo na vida da morte.


Poesia escrita em 21/06/1996
ANTONIO CASSIANO

domingo, 6 de setembro de 2009

OUTRO ALGUÉM NÃO PODEREI AMAR



Quando a noite vem
a lua brilha no céu
nesse instante eu sinto
nos lábios, seu gosto, meu mel

Seu rosto surge em minha mente
com a beleza sublime
com semelhança de anjo
que do céu vem saíndo.

As estrelas do firmamento
sempre me fazem pensar
que seus olhos ainda estão
a me espreitar...

Mas agora eu sei
que você já me esqueceu
pois um outro ocupa
um lugar que já foi meu.

Eu me tranco em minha casa
e me ponho a pensar
em tudo que foi tão lindo
e agora ter que terminar.

A noite vai passando
e eu não consigo dormir
fico alimentando a esperança
de ver você surgir...

O dia amanhece
o sol já vem saindo
contemplo esse espetáculo
mas não é sorrindo...

Eu caminho pelos campos
algo me chama atenção
uma linda flor que desabrochou
que ontem era só botão.

Novamente o pensamento em ti
vem me atormentar,
e eu me conscientizo,
outro alguém não poderei amar,
outro alguém não poderei amar...

ANTONIO CASSIANO

sábado, 5 de setembro de 2009

UM LINDO AMANHECER


Quando amanhece o sol vem surgindo
na linha do horizonte,
com sua forma arredondada
e sua maravilhosa cor de ouro
e a claridade de bilhões de luzes.

Neste amanhecer tudo é lindo,
o gorjeio dos pássaros,
a brisa que entra pela janela,
o lindo beija-flor,
com seu longo bico a tocar na flor,
para se alimentar do seu néctar...

É neste momento que se tem
a paz e a tranquilidade,
e as esperaças de alcançar
o ideal mais desejado,
e a certeza de se ter um dia feliz,
um dia muito feliz...

E até mesmo a natureza
e as delicadas flores, a nos embriagar,
com os seus perfumes primaveris,
e nós caminhamos sorrindo,
felizes, para nos encontrar,
com a natureza, com a natureza...

ANTONIO CASSIANO 28/10/1983